Os problemas relacionados à utilização de Triclosan

Comentários · 85 Visualizações

Mesmo acarretando problemas, tanto para nós, humanos, quanto para o meio ambiente, esse antisséptico é muito utilizado em diversos produtos presentes no nosso dia a dia.

O que é o triclosan e suas aplicações

Regulado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), sendo 0,3% a quantidade máxima para utilização em higiene pessoal, cosméticos e perfumes autorizada, o Triclosan é um antisséptico do grupo dos fenóis e éteres. Em baixas concentrações inibe o desenvolvimento de fungos, vírus e bactérias, já em concentrações altas, tem a capacidade de provocar a morte desses organismos. Mesmo trazendo também efeitos danosos a saúde humana, possui um vasto campo de aplicação, dentre esses podemos citar alguns: sabonetes, pastas de dentes, desodorantes, antissépticos, perfumes, objetos de primeiros socorros com função antimicrobiana, roupas, sapatos, plásticos próprios para serem utilizados em alimentos, brinquedos, escovas de dente e, inclusive, está presente também na composição de pesticidas.

Malefícios do triclosan

Existem vários estudos acerca dos efeitos negativos causados pelo Triclosan tanto em seres vivos, incluindo seres humanos, quanto para o meio ambiente. Há pesquisas que mostram que esse produto contribui para adaptação de espécies bacterianas, o que dificulta sua eliminação, tornando-as resistentes (inclusive à antibióticos), incluindo bactérias patogênicas para seres humanos. Além disso, o Triclosan pode causar doenças hepáticas em humanos e afetar o funcionamento dos músculos, reduzindo a atividade muscular do coração, por exemplo. Em relação aos impactos ambientais, esse antisséptico é indicado, por estudos, como tóxico para organismos aquáticos. Ele pode afetar a flora e a fauna através do lançamento de efluentes em Estações de Tratamento de Esgoto (ETE).

Substituintes do triclosan

Já existem, no mercado, produtos sem o triclosan. Esses produtos são formulados com antimicrobianos naturais, tais como canela, que se mostrou, através de estudos, mais eficiente e sustentável. Outras alternativas menos agressivas são o bicarbonato de sódio e a pedra hume, também conhecida como alúmen de potássio.

Referências bibliográficas: 

https://www.ecycle.com.br/1982-triclosan.html

https://www.fda.gov/consumers/consumer-updates/5-things-know-about-triclosan

 

Comentários